Pré estreia da Mulher Maravilha aconteceu nesta quarta-feira em todo o país

 Um filme só da super heroína mais queridinha do mundo. Quem não estava empolgado para ver? Eu estava ansiosa demais, aliás, ela sempre esteve presente em desenho, mas com um papel imperceptivel e secundário na liga da justiça ou em quadrinhos, agora passa a desbravar as telonas e veio para mostrar sua história para o mundo.

 Primeiro, antes de mais nada, achei legal que fizeram um filme só dela deixando intrinseco na trama a igualdade da mulher, empoderamento feminino e tirando totalmente a idéia da mulher frágil. Parabéns à diretora Patty Jenkins e aos roteiristas Geoff Johns, Allan Heinberg que conseguiram colocar no filme a verdadeira mulher maravilha. A mulher do dia a dia. A guerreira que luta todos os dias. 

  Assisti ontem a pré estreia do filme que retrata a história de uma menina chamada Diana Prince que é treinada para se tornar uma guerreira imbatível. Ela vive em uma ilha paradisíacae é reconhecida como princesa das Amazonas. Certo dia, um piloto  chamado Steve Trevor se acidenta e cai numa praia do local, e ela descobre que uma guerra está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com a guerra no mundo, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra. E, a partir dai ela luta e começa a viver no mundo fora da ilha "mundo dos humanos" junto com Trevor e vivencia as guerras e bombardeios que matam pessoas inocentes até que consegue por um ponto final em tudo e a paz  volta a reinar no mundo. 

 Bom, mas para tudo isso acontecer vai muito chão, muitas cenas e detalhes pensados pela produção produção do filme. Os efeitos especiais estão super legais e o figurino impecável, mas achei que fosse ver a roupa vermelha e azul com estrelas que remetem a bandeira dos EUA, pois era o que tinha em mente dos quadrinhos e desenhos, entretanto, as vestimentas não são essas. rs

  Quanto as cenas, foram super bem elaboradas, o 3D dá mais vida ao filme e tudo em cada parte do filme faz sentido, todos os objetos, não há nada desnecessário. Só o que acho é que no final do filme o dialogo e a briga contra o "Ares", que é o Deus do mal, fica muito demorado e acaba enrolando muito. Achei um pouco cansativo. Mas, o filme em si está MA-RA-VI-LHO-SO. Queria ser até a mulher maravilha (rs). Principalmente, se fosse para ser a gatissima da Gal Gadot e tivesse o Chris Pine como par romântico. Os dois atores fizeram um excelente trabalho e conseguiram deixar o filme de ação mais descontraído e sem perder a essência da aventureira de destaque a nossa Wonder Woman.

 Gal Gadot fazendo o papel de Mulher Maravilha ( Imagem da internet)

01/06/2017 às 18:00 Resenha (Produtos e filmes) Nenhum comentário
Alyne Cervo

Sou jornalista apaixonada pela minha profissão. Gosto muito de ler, principalmente os livros dos autores Augusto Cury e Roberto Shinyashiki.

COMENTAR O POST





Pesquisar por:

Modo de Exibição

  Estendido   Compacto

Alyne Cervo

Alyne Cervo

Desde pequena tinha o sonho de ser jornalista. Sempre fui muito falante, curiosa e gostava de me manter informada. Quando pude optar qual a profissão que iria seguir, o jornalismo foi a minha opção. Agora tenho o compromisso de informar vocês.

Publicidade

Redes Sociais