"Extraordinário": espelho da realidade cruel que vivemos

 Olá pessoal, tudo bem?
 Bom quem viu o insta e me acompanha ( meu muitissimo obrigado <3) sabe que estive na sessão vip do Shopping Jaraguá para assistir o filme "Extraordinário" na semana passada. Gostaria de agradecer a Bruna e toda a equipe do cinema e shopping pelo carinho de sempre. 

 Seguindo o que queria falar e, sem mais delongas, vim falar sobre esse filmaço que estréia nesta quinta-feira nos cinemas. Entrei com uma expectativa do tipo "ah, vou ver, mas aposto que vou sair achando perda de tempo" e sai com a realidade de "meu preciso ir mais mil vezes assistir esse filme". Sério é tão bom e com um tema tão atual que precisa ser tratado com mais frequencia e não deixar passar despercebido. 

 Enfim, o filme conta a história de um menino  que se chama Auggie Pullman que nasceu com uma deformação facial. Ainda bebê os pais recorreram a medicina fazendo com que ele passasse por 27 cirurgias plásticas. Mesmo após as intervenções o menino ficou com cicatrizes no rosto que o leva a ter vergonha de si mesmo, de se olhar e, por isso, anda com uma fantasia o tempo todo de astronauta para tampar a sua face.

 O tempo passa e durante 10 anos a mãe vira professora dele. Pensando na reação das pessoas e tentando fazer com que ele não sofra ela dá aulas para ele em casa, porém chega neste momento e ela vê que ele precisa ir para a escola e interagir com pessoas da mesma idade que ele. É então que ele vai pela primeira vez a uma escola de verdade.

 Os pais não tem apenas ele de filho, tem Via, sua irmã mais velha que ama seu irmão e tenta protege-lo, além de torcer por ele. Mas, no decorrer dos anos, devido o filho mais novo nascer com a deformidade os seus pais acabam virando a atenção apenas para o pequeno Auggie e deixando a filha de segundo plano. Então ela se sente sozinha, mas sabe que o irmão precisa mais dos pais do que ela, então ela se anula para ver a familia bem.

 Mas, o foco mesmo do filme é Auggie que chega a escola e sofre todos os tipos de preconceitos possiveis e precisa lidar com a situação de rejeição e desprezo de todos da escola. Até que ele, enfim, encontra o caminho da amizade verdadeira e supera o bullying. Enfim, não vou contar tudo não. 

 O filme está muito legal, apaixonante. Superou todas as minhas expectativas. Chorei bastante, portanto levem seus lencinhos. Auggie me encantou, assim como vai te encantar ( só se seu coração for de pedra que não vai amar esse menino lindo demais). Gente, o filme estréia nesta quinta-feira e de verdade, vale a pena ver. É um filme que mostra a imposição da sociedade pelo que eles acham corretos, pré julgamentos, não aceitação de como cada um é. 

 É um filme de fazer você e eu refletir muito. Se vocês não refletirem e não mudarem suas percepções depois do filme, sinto muito. Acho que você está já fazendo parte das pessoas que não se enxergam e não sabem aceitar os outros. Daquele tipo de pessoa que não se comove com a vida do outro e está sempre disposto a achar um erro para derrubar o outro ao invés de dizer "vem que eu te ajudo a levantar e seguir". Uma pessoa egocentrica e egoista. 

 Aconselho que vejam o filme e digam o que acharam. Me falem de verdade o que sentiram. Por último, gostaria de compartilhar um trecho do final do filme que é para se pensar "Todo mundo deveria ser aplaudido de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo." (Auggie Pulmann em Extraordinário")
 

04/12/2017 às 23:43 Arte & Cultura Nenhum comentário
Alyne Cervo

Sou jornalista apaixonada pela minha profissão. Gosto muito de ler, principalmente os livros dos autores Augusto Cury e Roberto Shinyashiki.

COMENTAR O POST





Pesquisar por:

Modo de Exibição

  Estendido   Compacto

Alyne Cervo

Alyne Cervo

Desde pequena tinha o sonho de ser jornalista. Sempre fui muito falante, curiosa e gostava de me manter informada. Quando pude optar qual a profissão que iria seguir, o jornalismo foi a minha opção. Agora tenho o compromisso de informar vocês.

Publicidade

Redes Sociais